Fosfatase alcalina

fosfatase alcalina

O que significa o resultado do exame de fosfatase alcalina?

A fosfatase alcalina pode ser pedida como parte de uma rotina de triagem, em geral com outros exames (chamados, em conjunto, de hepatograma) ou quando há sinais e sintomas de doença hepática ou óssea. O que significa o resultado do exame? Níveis altos de fosfatase alcalina são observados em quase todos os distúrbios hepáticos.

Quais são os níveis de fosfatase alcalina baixa?

Fosfatase alcalina baixa Os níveis de fosfatase alcalina raramente estão baixos, no entanto esta enzima pode estar diminuída nas seguintes situações: Hipofosfatasia, que é uma doença genética que provoca deformações e fraturas nos ossos;

Quais são as formas de fosfatase alcalina produzidas nos diferentes tecidos?

As formas de fosfatase alcalina produzidas nos diversos tecidos podem ser distinguidas no laboratório e são chamada isoenzimas. Como a amostra é obtida para o exame? Uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço. É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra? É recomendado jejum, mas não é indispensável.

Qual a importância da fosfatase alcalina para o fígado?

Presente em diversos tecidos, a fosfatase alcalina é uma enzima importante para a atividade do fígado. Isso porque ela possui maior concentração nas células dos canais biliares, que transportam a bile do fígado para o intestino. No caso dos ossos, por outro lado, é produzida pelas células responsáveis pela formação e manutenção da saúde óssea.

Quando o exame de fosfatase alcalina é pedido?

Quando o exame é pedido? A fosfatase alcalina pode ser pedida como parte de uma rotina de triagem, em geral com outros exames (chamados, em conjunto, de hepatograma) ou quando há sinais e sintomas de doença hepática ou óssea. O que significa o resultado do exame?

Quais são as principais fontes de fosfatase alcalina?

A fosfatase alcalina FA é enzima, mas não apenas uma, e sim uma família de isoenzimas, de várias origens, as maiores fontes são fígado, ossos e intestino e, durante a gravidez, a placenta é uma fonte abundante de fosfatase alcalina. Ocorre aumento nos períodos de crescimento, doença hepática e obstrução do ducto biliar.

Como é feita a separação da fosfatase alcalina?

Coleta-se sangue periférico e faz-se a separação do soro. Em relação à fosfatase alcalina total, o método mais utilizado é o cinético colorimétrico. Quanto às frações, estas podem ser avaliadas por eletroforese em gel de agarose ou por ensaio imunométrico quimioluminescente.

Como é feito o exame de fosfatase?

Coleta-se sangue periférico e faz-se a separação do soro. Em relação à fosfatase alcalina total, o método mais utilizado é o cinético colorimétrico. Quanto às frações, estas podem ser avaliadas por eletroforese em gel de agarose ou por ensaio imunométrico quimioluminescente. 5. Para que serve o exame de fosfatase?

Qual a função da fosfatase alcalina?

O que está sendo pesquisado? A fosfatase alcalina é uma enzima encontrada em diversos tecidos do corpo, com concentrações maiores no fígado e nos ossos. No fígado, existe principalmente nas células que formam a parede dos ductos biliares, canais que conduzem a bile do interior do fígado para o intestino, onde ela participa da digestão de lipídios.

Por que os valores da fosfatase alcalina não estão dentro dos parâmetros normais?

Quando os valores da fosfatase alcalina não estão dentro dos parâmetros normais, é possível que seja devido a algum tipo de complicação ou situação especial. A fosfatase alcalina é uma enzima encontrada na maioria dos tecidos do corpo, mais predominante no fígado, assim como nos canais biliares e tecido ósseo.

Por que a fosfatase alcalina é alta em crianças e adolescentes?

Idade. Em maiores de 60 anos podem ocorrer aumentos da fosfatase alcalina devido ao processo de diminuição da massa óssea. Em crianças e adolescentes com crescimento ósseo esta enzima está normalmente elevada já que uma das maiores fontes de fosfatase alcalina é o osso.

Quais são os tipos de fosfatase?

A Fosfatase Alcalina é uma enzima encontrada em praticamente todos os tecidos do corpo, mas que se apresenta sobretudo no fígado, nas vias biliares e nos ossos. Tem diferentes tipos, chamados isoenzimas, que são originárias de diferentes tecidos (FA1 do fígado, FA2 do osso).

Postagens relacionadas: