Restaurante mosteiro do leitão

restaurante mosteiro do leitão

Onde fica o Mosteiro do Leitão?

O Mosteiro do Leitão situa-se junto à Expo-Salão da Batalha. Espaço amplo e muito cuidado, apresenta uma decoração sóbria e atenta aos detalhes, com um serviço de excelência e um ambiente acolhedor.

Como é a decoração do Mosteiro do Leitão?

E, para além desta iguaria, o Mosteiro do Leitão apresenta outras propostas de comida tradicional, como o tornedó com ovo estrelado e batata noisette, a espetada monumental, o naco na pedra, os secretos de porco preto, o polvo à Lagareiro, o bacalhau à Mosteiro, a cataplana de peixe ou até a massada de robalo.

Como é a gastronomia do Leitão?

Em visita de família à região e tentando usufruir da boa gastronomia da área (leitão) encontrámos um restaurante renovado, actual, elegante e de muito bom gosto. O Leitão estava excepcional, variedade de outros pratos incluindo vegan. Boa seleção de sobremesas.

Como foi o atendimento do Leitão?

Foi nos sugerida uma peça divinal! Como também queriamos leitão, o funcionário foi extraordinário e proprocionou-nos a hipótese de experimentar o leitão numa pequena dose. O atendimento foi excelente e a atenção para com os clientes extrema. Ponto de paragem obrigatória para...

Qual é a raça do Leitão?

Durante décadas, na Bairrada, o Bísaro era a raça escolhida para a preparação desta maravilha portuguesa. Com o tempo foi-se percebendo que existem raças que se desenvolvem muito mais rapidamente, merecendo assim mais atenção dos comerciantes. Na segunda metade do século XX, o leitão passou a estar na moda.

Como é feita a matança de um leitão?

A dita matança e todo o processo de esboldração que se segue exige perícia do executante e experiência de quem tempera. O leitão deve ser morto de uma só facada: a faca deve ser longa o suficiente para perfurar toda a carne que se encontra entre as suas patas dianteiras, um pouco abaixo do pescoço.

Qual era a importância do Leitão no século XIX?

O leitão era comido em algumas datas de grande importância. No entanto, não deixa de ser curioso que no século XIX, existisse uma ementa que chamava a atenção dos pobres e dos ricos: a Cabidela de Leitão (um prato que, diga-se, ainda hoje é muito apreciado na zona da Mealhada). Contudo, este prato refletia diferenças entre as classes sociais.

Postagens relacionadas: