Retenção na fonte 2022

retenção na fonte 2022

Quais são as taxas de retenção na fonte em 2022?

As taxas de retenção na fonte em 2022 foram atualizadas, refletindo a subida do salário mínimo para os 705 euros mensais. Assim, o valor a partir do qual se começa a descontar IRS passa dos 686 euros (valor de 2021) para os 710 euros mensais brutos, sendo que os limites dos intervalos dos v ários escalões também foram atualizados.

Quais os escalões da isenção de retenção na fonte em 2022?

No que à tabela relativa aos trabalhadores dependentes não casados diz respeito, em 2022, além de a isenção de retenção na fonte passar para vencimentos até 710 euros, os escalões para atualização da taxa passam a ser de 710, 720, 740 e 754 (em vez dos anteriores 686, 718 e 739), mantendo-se a partir do escalão dos 814 euros.

Como funciona a retenção na fonte?

A retenção na fonte é uma taxa que as Finanças aplicam aos rendimentos dos pensionistas e aos salários dos contribuintes que trabalham por conta de outrem. Os trabalhadores independentes também podem fazer retenção na fonte, mas com outras regras. O valor correspondente a essa taxa é pago logo no momento em que o recibo é emitido.

Como funciona a dispensa de retenção na fonte?

Em 2019, mais contribuintes vão beneficiar da dispensa de retenção na fonte, ou seja, mais pessoas ficam isentas de pagar IRS. Saiba se é o seu caso. Os contribuintes que, em 2019, ganharem até 654€ brutos por mês terão dispensa de retenção na fonte para pagamento de IRS.

Quais são as novas tabelas de retenção na fonte de imposto de renda 2022?

Há novas tabelas de retenção na fonte de IRS em 2022, para trabalhadores dependentes, a aplicar aos rendimentos mensais a partir de 1 de março. As tabelas agora publicadas não têm efeitos retroativos a janeiro.

Quando as taxas de retenção na fonte foram atualizadas?

As taxas de retenção na fonte foram atualizadas em 2022. Veja se as novas tabelas trazem boas notícias para o seu bolso. Se tem rendimentos de trabalho ou de pensões, já deve conhecer o termo retenção na fonte.

Quais são as tabelas de retenção na fonte para 2021?

As tabelas de retenção na fonte para 2021 foram divulgadas numa portaria publicada em 3 de dezembro de 2020, colocando nos 686 euros o valor até ao qual os salários e pensões estão isentos de IRS. Para além deste novo patamar, as tabelas mostram também uma descida das taxas, face a 2020, para as reformas mensais até aos € 765.

Quando sai a tabela de retenção na fonte de IRS?

As tabelas de retenção na fonte de IRS a vigorar em 2022 foram originalmente publicadas a 2 de dezembro de 2021, de modo a refletir a atualização do salário mínimo. Entretanto, a 24 de janeiro de 2022, as tabelas de retenção na fonte de IRS foram corrigidas.

Como funciona a isenção de retenção na fonte?

A verdade é que a isenção de retenção na fonte não é uma isenção de pagamento do IRS. O imposto ser-lhe-á cobrado na mesma, só que, em vez de o ser mensalmente, trimestralmente ou semestralmente, vai ser cobrado todo de uma vez no final do ano.

Quais são as taxas de retenção na fonte?

1.º - Rendimentos prediais (cat.F) – Não está sujeito a retenção na fonte (porque não se ultrapassaram os 10.000€ nesta categoria); 2.º - Serviços de consultadoria (cat.B) – Está sujeito a retenção na fonte à taxa de 25% (foram ultrapassados os 10.000€ nesta categoria).

Quais os requisitos fiscais que obrigam a retenção na fonte?

Há requisitos fiscais que obrigam à retenção na fonte. Depende apenas dos seus rendimentos estarem sujeitos ou não a este regime. Caso se aplique a retenção e não a faça, pode ser punido com uma multa de 375€ a 3750€ (para pessoas singulares) de acordo com n.º 2 do Art.º125 do RGIT.

Quais são as percentagens possíveis de retenção na fonte?

No total e de acordo com o artigo 101º do CIRS, há quatro percentagens possíveis de retenção na fonte: 25% para atividades profissionais que constem na lista do artigo 151º do CIRS;

Postagens relacionadas: