Memorial do convento resumo

memorial do convento resumo

Qual a importância do Memorial do Convento?

Padre Bartolomeu, por perseguir o seu sonho e acreditar na ciência, pondo em causa o poder e dogmas da Igreja; Memorial do Convento serviu de base a uma ópera, Blimunda, com música do italiano Azio Corghi, estreada em Milão em 1998. ↑ Editorial Caminho. «Memorial Do Convento Ed. Esp.». Consultado em 22 de Novembro de 2010.

Quem escreveu o Memorial do Convento?

Posto como um dos melhores livros de José Saramago, lado a Evangelho Segundo Jesus Cristo, Memorial do Convento é uma obra que revoluciona por ter sido elaborado com extrema precisão, tendo em vista a época histórica retratada pelo autor, acrescentando-lhe mais um dote, que é a visão máxima de uma realidade histórica passada.

Quais são os grupos opostos do Memorial do Convento?

No epílogo da acção, Blimunda recolhe a vontade de Baltasar, enquanto este morre, condenado à fogueira. Em Memorial do Convento existem poucas personagens que formam dois grupos opostos: A aristocracia e o alto clero representam o grupo do poder, enquanto o povo e os oprimidos, que representam o grupo do contra-poder.

Quais eram os materiais utilizados no Convento?

Todos os materiais utilizados no convento eram de qualidade. De Portugal a pedra, o tijolo e a lenha para queimar, o arquiteto alemão, italianos mestres dos carpinteiros e da Holanda os sinos e os carrilhões. O convento levou 8 anos a ser construído.

Quais são os personagens do Memorial do Convento?

Resumo/Apontamentos sobre o livro Memorial do Convento de José Saramago, realizado no âmbito da disciplina de Português (12º ano). No Memorial do Convento existem personagens históricas (como D. João V, D. Ana Maria Joseha, Padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão e Domenico Scarlatti) e pe rsonagens fictícias (Baltasar Mateus e Blimunda de Jesus).

Quais são os diferentes tipos de narradores no Memorial do Convento?

No memorial do convento, o narrador adopta muitas posições em relação à história, o que não podemos afirmar que só existe um tipo de narrador. Em seguida estão alguns exemplos textuais e o respectivo comentário relativamente ao narrador:

Quais são as dimensões simbólicas do livro O Convento?

Dimensão simbólica: o poder da vontade e do trabalho em equipa. A construção do convento: a epopeia do trabalho. A exaltação dos humildes. Polifonia do narrador.

Como surgiu o Memorial do Convento?

A história de Memorial do Convento começa por volta de 1711, cerca de três anos depois do casamento de D. João V com D. Maria Ana Josefa de Áustria, e termina vinte e oito anos depois (1739), aquando da realização do auto-de-fé que determina a morte de António José da Silva e de Baltasar Mateus Sete-Sóis.

Quais são as narrativas do Memorial do Convento?

A análise de Memorial do Convento permite constatar a existência de duas narrativas simultâneas: uma de carácter histórico – a construção do convento de Mafra – e outra ficcionada – a construção da passarola que engloba a história de amor entre Baltasar e Blimunda.

Quais são os núcleos narrativos do Memorial do Convento?

Em memorial do convento podemos destacar três núcleos narrativos: a construção do convento de Mafra, a construção da passarola e a história de Baltasar e Blimunda. 2.

Quais são os diferentes tipos de narradores no Memorial do Convento?

No memorial do convento, o narrador adopta muitas posições em relação à história, o que não podemos afirmar que só existe um tipo de narrador. Em seguida estão alguns exemplos textuais e o respectivo comentário relativamente ao narrador:

Postagens relacionadas: